domingo, 9 de janeiro de 2011

A iniciação # 2



Julho 2010. deixa-os pousar.

Saber esperar é uma virtude. Às vezes a espera conduz a um estado de letargia inquietante. Acreditem. Passa-nos cada coisa pela cabeça após permanecer imóvel durante várias horas à espera que uma ave dê ares da sua graça. Todavia, é sempre reconfortante constatar o diálogo entre a natureza e os seus habitantes, mesmo quando os nossos amigos irrequietos não estejam para aí virados e teimosamente insistam voltar costas à nossa demanda. Passei horas no meio do mato perto da minha casa, como um caçador, mas com uma grande diferença; o troféu da “caça” resumia-se a uma simples fotografia. Porém existem regras a cumprir. É importante não perturbar nem alterar habitats, muito menos os ninhos. É essencial deixar tudo como encontrámos sem nenhuma marca da nossa presença. Um amigo meu disse-me que o birdwacthing seria uma variante de paparazzi dos pássaros. Talvez seja. No entanto, diametralmente oposta aos interesses monetários que movem fotógrafos e gente famosa, uma vez que no birdwacthing, os modelos tentam apenas sobreviver com o que a natureza lhes oferece, enquanto os fotógrafos fazem desse registo um documento de arte e não uma forma lucrativa de negócio. Para mim observar aves serve de catarse, é uma busca primordial por paz interior, quiçá um momento de contemplação, por não possuir asas que me façam voar.

Sem comentários:

Enviar um comentário