terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Fotos e o Poema colectivo do Café Poema 21-01-2011

                                                                         
pela Poesia nem a noite fria nos fez arredar pé.
viajámos pela Lusofonia, percorremos vários continentes, visitámos diversos Poetas, e em todo lado sentimos a dinâmica da língua Portuguesa. o meu obrigado à escritora convidada Gisela Campos e a todos os Poetas viscerais pelo empenho manifestado nesta noite de verbo.
aqui fica o vosso poema colectivo ilustrado pelas asas dos sorrisos.


...

" navegando
 alcançámos o céu do mundo
ai ai mãezinha
sem gala renascida nesta pena no desejo feito corpo de um poema
das velas dos meus braços quero eu tecer as teias
pelo caminho pisei as pedras da calçada, 
os carreiros de terra modernos
sim vim ao café poema encher a minha alma de poesia
se disser que a lua era cheia naquela noite poderá parecer mentira
daqui, dali a Dili o poema café é aqui
esta é a nossa história, 
importamos as dores de um império
 e exportamos a alma sob a forma de palavras
na noite da poesia no café poema - a lusofonia
 abismo é o oco da tua boca na minha
um poema vim dizer na noite fria
respiro, recordo e canto o poema como um corpo sem nome 
palavras semeadas...  "

                        ...





















     



o astrolábio que hoje nos prende é o mesmo que ontem nos guiou, 
alma audaz e descobridora.

Sem comentários:

Enviar um comentário