domingo, 19 de agosto de 2012

Dia Mundial da Fotografia


e porque hoje é o Dia Mundial da Fotografia,



que as máquinas de todo o mundo não se calem de fotografar,
de luz momentos felizes escritos em paz
para que um dia possamos dizer
sabemos viver aqui.


sábado, 4 de agosto de 2012

Projecto Quatro Estações Sobre Monsanto - Gaio (Garrulus glandarius)

O Gaio, muito embora seja uma espécie abundante no Parque Florestal de Monsanto, não foi nada fácil de fotografar. Trata-se de um corvídeo muito inteligente (capacidade de adaptação a novas situações) tal como exímio imitador de sons, contudo sempre desconfiado e pouco tolerante à presença humana. 
Para isso, tive que recorrer ao abrigo e depois de observar certos hábitos desta ave, descobri um local onde bebia água e depois repousava durante alguns minutos. Eu, supostamente bem camuflado, a seis metros de distância do poiso, esperei pelo seu regresso.

Dias mais tarde, noutro lugar, quanto tinha tudo preparado para fotografar aves mais pequenas, eis que surge o nosso amigo Gaio em cima do ramo e a encher completamente a área de foco. Não estava à espera. O abrigo estava a um metro e meio dele e não me atrevi a mexer na objectiva para diminuir distancia focal.
 

O meu imaginário juvenil está preenchido por imagens do voo destas aves na terra dos meus pais; as suas vocalizações era algo que eu associava à voz do campo, as penas azuis das asas eram para mim pedaços caídos de céu, simbolo de liberdade num voo perfeito.

Há uns anos, estava eu num restaurante do Barreiro quanto vi esta ave presa numa exígua gaiola, em precárias condições de espaço e higiene. A ave mal conseguia abrir as asas, não tinha espaço para se movimentar, os comedouros e bebedouros estavam quase vazios e sempre que alguém se aproximava da gaiola, o animal atirava-se contras as grades, causando-lhe visíveis ferimentos. Fiquei revoltado e falei com o suposto responsável do restaurente e presumivel dono da gaiola mas não do animal. Tentei convencer o senhor da libertação do Gaio, mas o homem respondeu, " ave caiu do ninho quando era pequena, foi recolhida e bem tratada" eu reafirmei que "aquilo" não eram condições para manter um animal em cativeiro, com espaço tão pequeno, sem cuidados nem tratamento, e mais disse ao senhor que "aquilo" (apontando para a gaiola onde estava o pássaro assustado) era um crime mas na altura ainda não havia legislação para o efeito. O homem virou-me as costas e foi atender um cliente.
Perdi a fome, saí do restaurante com uma vontade...