sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

O Natal é já amanhã


O Natal já passou e já estou cheio de saudades. Sim é verdade. Que mais poderia fazer no dia 24 de Dezembro? Para além de sonhos e rabanadas para os quais não tenho jeitinho nenhum e ver televisão vegetativa não seria uma solução a considerar. Ora, posto isto, que  melhor dia poderia eu escolher para fotografar aves?

Não fui sozinho em mais esta visita à Ponta da Erva. Segui acompanhado pelo meu amigo Frade companheiro neste estado de espírito de vigilante observador da natureza. Nas nossas incessantes buscas pela lezíria fomos brindados por uma luz graciosa e por umas quantas aves que nos fizeram lembrar que afinal o Natal é já amanhã.

O Chapim-de-faces-pretas, um autêntico mascarilha irrequieto, assaltou o canavial da lezíria para depois tentar fintar as objectivas enquanto pulava entre canas.


O Papa-ratos andava tão entretido na sua caça quotidiana que quase gerou uma crise de identidade.  Nesta sequência de imagens o animal não fez jus ao nome ao contradizer a nomenclatura, quando em vez de um rato apanhou uma rã (acho eu). Depois disto, que me desculpem os ornitólogos, para mim esta ave ficou baptizada como sendo o Papa-rãs.


Fotografar a Coruja-do-Nabal era um sonho antigo. Esta extraordinária rapina nocturna mas de hábitos diurnos, voou à nossa frente depois de nos piscar os seus magníficos olhos amarelos umas quantas vezes, como quem diz: despachem-se, tenho mais que fazer, a ceia da consoada é daqui a pouco.


                                       
Depois disto voámos para casa onde continuei com esta mania de dar fala aos animais.

Sem comentários:

Enviar um comentário