quinta-feira, 27 de outubro de 2011

a menina das tatuagens que voavam

na anca nua e voraz de pele ainda morena
a menina mandou fazer uma tatuagem de uma íbis pequena
mas a ave negra não se deixou aprisionar e escapou
dos poros da pele picotados a jacto de tinta num explosivo voo

a menina passou o verão a toque de espanto
e não satisfeita com tal desencanto
erigiu outra tatuagem no delta do umbigo
uma linda cegonha que ardia no ventre em quente castigo

mas a cegonha não teve vergonha e com o prenuncio do frio
bateu as asas e da pele da menina a cegonha fugiu
triste ficou a pequena que não sabia mais o que fazer
no mapa do corpo louco,
toda e qualquer tatuagem era uma miragem que tendia a desaparecer

o tempo passou e com ele veio a raiz da mudança
agora a menina inscreve na pele da vida
a tinta permanente o embalo de uma nova criança

Sem comentários:

Enviar um comentário