terça-feira, 31 de dezembro de 2013

Foi apenas um bando de dias




Foram tantos os dias de asas cinzentas e às vezes coloridas   
que passaram voláteis sobre o céu das expectativas,  
em bandos desordeiros de desejos sincronizados; 
muitos não chegaram ao seu destino, ficando a meio caminho,  
entre a rebentação das nuvens e a  terra ferida.  
outros houve, que floriram nas mãos dos sonhadores 
fizeram-nos cantar sem saber porque sorrir, 
sangraram a lágrima e temperaram o músculo do afecto.  
e porque as nuvens não sabem andar sozinhas  
um a um, largámos esses dias,  
tão felizes daqueles que nos deixaram voar.

Sem comentários:

Enviar um comentário