sábado, 19 de maio de 2012

A pega-azul

 
são coisas da vida. não posso dizer que me senti traído ou enganado. mas para a próxima vez já sei, nunca mais divido nada com quem estiver na berma da estrada, mesmo que seja muito bonita, mesmo que tenha fome, e essencialmente, se me fizer um gesto convidativo à compaixão ou a ternura dos afectos, mesmo que faça muito frio e sinta pena daquele ser frágil,  sigo em frente e desvio o olhar. estávamos em Dezembro, quando na Amareleja dividi uma sandes de chouriço com uma bela pega-azul (Cyanopica cyanus), melhor dizendo, ela apenas debicou e levou o que lhe interessou...  




Sem comentários:

Enviar um comentário