segunda-feira, 14 de maio de 2012

"A" de Árvore



Quando no húmus incidiu um fio sol
dos troncos se fizeram abraços
da seiva os beijos madrugadores
da cortiça o eco dos cansaços
das folhas curtas o gume dos amores

mas quando na manta morta choveu,
da tua cama à minha voz
foi um palmo de raiz até à minha pele
e mesmo assim,
quando estou não estando
escolho-te companheira não por seres árvore,
antes amor maior,
contra os impossíveis de qualquer movimento sombra.



Sem comentários:

Enviar um comentário