terça-feira, 31 de maio de 2011

Poema Colectivo - A Lua -

Meus caros Amigos.


Este é o vosso poema colectivo escrito numa mesa de café ao mesmo tempo que o luar brindava às coisas de cá de baixo.
Desde já agradeço a colaboração e empenho de todos aqueles que fizeram acontecer esta tertúlia saudavelmente lunática.


---


Eu queria ter uns sapatos com asas nos saltos para subir ao céu, não para lá ficar, antes para pedir ao céu que tem tantas estrelas, entre as quais a mais bonita, para oferecer à minha Mãe.

Nasce a noite, entre o breve sussurrar da lua ocupando a paisagem, no refúgio de um beijo.

Solto as palavras na tua face nua, são lágrimas adormecidas, enquanto o luar respira entre a vigília dos sonhos.

Quando és lua sorrateira e matreira brilhas e iluminas os amados, singela e solitária, a tristeza alheia envolves.

Oh Lua... minha feiticeira iluminas tudo e todos que estão à nossa beira.

Olhos postos no céu, sempre uma luz crua, vejo-te em toda a parte, tenho-te... na Lua!

Lua onde páras? quero dormir com o teu afago.

Não houve em tempos uma raposa que caiu a um poço à procura de um queijo, era a lua reflectida.

Por acaso até achei bem até ter aparecido a lua.

Olá lua, pareces uma bola de futebol, fazes-me lembrar o jogo que perdi...

Oh Luar da meia noite, alumia cá por baixo, eu perdi o meu amor às escuras e não o acho.

No eixo do teu colo embalo as noites que migram em pó de prata numa máscara de timidez e outros dias.

---

Escrito a 27 de Maio, pelos Amigos Poetas deste Café Poema.

Saúde!

2 comentários:

  1. Olá Sérgio!
    Obrigado pela "Lua Colectiva" que nasceu no ultimo CAFÉ POEMA.

    Eu também agradeço, porque a minha participação foi o catalizador que deu o ultimo empurrão para concretizar a intenção de blogar as coisas que tenho escrito para as outras participações em tertulias de poesiaem que tenho dito umas coisas que escrevo para as ocasiões.

    Também quero agradecer a oportunidade de conhecer o "Universo MACRO"

    O blog está em http://palavrascomocerejas.blogspot.com/

    Continuação de bom trabalho

    Eduardo MArtins

    ResponderEliminar
  2. Obrigado pelas palavras e pela poesia. Abraço

    ResponderEliminar