sexta-feira, 27 de maio de 2011

The National ao vivo e a cores no Campo Pequeno

Eu estive lá.
mas por instantes fracionados numa dimensão paralela
habitei outro lugar e não me apetecia nada voltar
nem a teoria das cordas ou dos multiversos me valeram
de resto, fechar os olhos nem sempre foi um bom refugio.



 

Nunca uma sala foi tão pequena para se ouvir a calda ébria de uma voz sem dono

de copo na mão o espírito do vinho ecoou na ronquidão da alma
numa canção que repetia o refrão "eu tenho medo de toda a gente"
depois de se escreverem canções de raiva e amor (vai dar tudo ao mesmo)
uma hora não chegou para beber uma lágrima de ressaca
pior foi regressar mas sempre foi assim.


 

Sem comentários:

Enviar um comentário