quarta-feira, 8 de abril de 2015

Quinta do Lago



ao final da tarde, ainda se ouvem grilos e garças em cantos de luz,
tantas foram as penas e as escamas de um dia percorrido na palma da mão,
de máquina fotográfica em punho, músculo de disparo rápido, cantil de água e fruto,
das aves que vimos fica o espírito da memória e das que sonhámos - um outro dia talvez,
pois diz-se esperança quando a espera não desgasta o sorriso inicial.

já no regresso ao corpo da casa,
o céu estende-se em bandeiras vitoriosas e brilham-nos os olhos sem palavras
quando as sombras se agigantam em árvores de um amanhã prometido,
temos todas as horas do relógio que ainda falta ao tempo para voar.



Sem comentários:

Enviar um comentário